Os pedestres (e a cidade) que se danem…

A maioria das imagens abaixo foi feita a partir do mesmo local, uma pequena padaria no bairro do Jardim Saúde, aqui em São Paulo. Outras imagens fazem parte ainda da cercania, pelos caminhos que faço de bike na cidade.

Somente uma pequena demonstração do desrespeito que vejo entre as pessoas; uma total falta de cidadania, de compreensão para com o outro.
Clique sobre as imagens para visualizar as fotos em tamanho maior, para que talvez fique mais patente a malcriação dessa gente.
Vamos portando mal, oye.

Olha o tamanho dessa calçada. Grande, né? A vovó, a criança, a mamãe com o carrinho do nenê podem passar aí, não é? Não, não podem.

Olha o tamanho dessa calçada. Grande, né? A vovó, a criança, a mamãe com o carrinho do nenê podem passar aí, não é? Não, não podem.

Todos esses motoristas quando abordados sobre a sua prática hostil dão a mesmíssima desculpa: É só cinco minutinhos. Tá, eu vou te matar, mas só um pouquinho, tá bom?

Todos esses motoristas quando abordados sobre a sua prática hostil dão a mesmíssima desculpa: É só cinco minutinhos. Tá, eu vou te matar, mas só um pouquinho, tá bom?

Já sei! Vamos chamar o poder público para coibir e impedir o comportamento hostil dos motoristas contra o cidadão que precisa usar a cidade! Ah, não, melhor não. Chame ladrão, chame ladrão, dizia Chico Buarque.

Já sei! Vamos chamar o poder público para coibir e impedir o comportamento hostil dos motoristas contra o cidadão que precisa usar a cidade! Ah, não, melhor não. Chame ladrão, chame ladrão, dizia Chico Buarque.


Não é uma gracinha? Que fofura... Ainda tem aqueles com desenho de macaquinho e muitos vem com a palavra Eco. A dona desse carro veio gritando quando me viu tirando fotos e mandou eu mostrar a minha credencial. Hahahaha.. é, uma gracinha mesmo.

Não é uma gracinha? Que fofura… Ainda tem aqueles com desenho de macaquinho e muitos vem com a palavra Eco. A dona desse carro veio gritando quando me viu tirando fotos e mandou eu mostrar a minha credencial. Hahahaha.. é, uma gracinha mesmo.

Não só em cima da faixa de pedestre, esse tanque de guerra pilotado por um rinoceronte bêbado ainda queria subir na calçada. Sabe como é.. pilotar esse monstro requer E S P A Ç O

Não só em cima da faixa de pedestre, esse tanque de guerra pilotado por um rinoceronte bêbado ainda queria subir na calçada. Sabe como é.. pilotar esse monstro requer E S P A Ç O

E o rinoceronte bêbado não pode dominar a faixa de pedestres (hahaha, pedestres...) totalmente por que outro carrinho tipo zero (te puseram?) já amealhou o local sagrado imediatamente em frente à porta da padaria.

E o rinoceronte bêbado não pode dominar a faixa de pedestres (hahaha, pedestres…) totalmente por que outro carrinho tipo zero (te puseram?) já amealhou o local sagrado imediatamente em frente à porta da padaria.


O dono da padaria poderia criar um caminho para o carro entrar na padaria, não seria demais? Hmmm, mas isso é um drive thru! Ah, já fizeram...

O dono da padaria poderia criar um caminho para o carro entrar na padaria, não seria demais? Hmmm, mas isso é um drive thru! Ah, já fizeram…

Vagas para estacionar um carro à frente, ao lado, no outro lado da rua, existiam várias. A padaria tem inclusive um estacionamento. É... mas o tiozinho esperava a dona mulher dele em cima da porra da faixa de pedestre.

Vagas para estacionar um carro à frente, ao lado, no outro lado da rua, existiam várias. A padaria tem inclusive um estacionamento. É… mas o tiozinho esperava a dona mulher dele em cima da porra da faixa de pedestre.

Pode-se ver que o monstrorista tem a vilania e estupidez no seu DNA, aliás DNA 2522; a mocinha alí que atravessará a rua é jovem, que se vire, né? mas como faz a mãe com crianças e o casal de velhinhos?

Pode-se ver que o monstrorista tem a vilania e estupidez no seu DNA, aliás DNA 2522; a mocinha alí que atravessará a rua é jovem, que se vire, né? mas como faz a mãe com crianças e o casal de velhinhos?

 

O que faz parte do absurdo dessas imagens é que a tal padaria, como citei, tem um estacionamento. Além, como disse também, vagas sempre livres na rua para colocar o transporte particular desses tipos.

Sobre as tais desculpas esfarrapadas que sempre aparecem na boca dos motoristas, um texto de Alexandre Trindade, sobre o Senhor e Senhora EU

Violência contra os cidadãos? Contra os ciclistas? Imagine então se juntar a essa falta de respeito o machismo que se encontra por aí:
– Garota ciclista ameaça espelhinho da Kombi com a trava da bike
– Violência contra a mulher, nas ruas e no trânsito
– Outro post similar do Pedalante, que faz parte do Movimento Feministas em Ativismo Online pelo Fim da Violência Contra a Mulher
– E mais um do Pedalante; esses textos estão cheios de histórias escabrosas

– Fotos do Memorial Márcia Prado; essa violência não apenas nos priva de calçadas, da cidade e das praças: acaba nos privando de nossas próprias vidas.
– Instalação de uma ghost bike na Av. Robert Kennedy; o ciclista Fernando Martins Couto e o gari Antônio Ribeiro morreram quando esperavam na calçada, atropelados por um ônibus.

– Cicloturista não é maluco – os perigos das estradas; André Pasqualini conta em seu blog as desventuras de atravessar o país sobre uma bicicleta. Na Alemanha, somente o cicloturismo movimenta muito mais dinheiro que todo o turismo do Brasil inteiro; aqui cicloturista é tratado como louco.

– Um texto do Willian Cruz sobre agressões gratuitas a ciclistas

– Um ciclista ameaçando um carro com uma moto serra; se usassemos isso? Pelo menos a trava, como a mocinha com a kombi…

Por experiência própria, sei que não vale a pena nenhum ato violento. Nem mesmo xingar. O que o motorista vai fazer? Pensar consigo mesmo, ver que fez cagada e pedir desculpas? Não, ele vai dizer ‘ah, que se foda você!’ e ainda pode fazer questão de tentar te atropelar. Às vezes, nem mesmo denunciar resulta em algo. Tem uma foto de um carrinho da polícia ali no alto do post, parado sobre a faixa, com os coxinha parado na calçada, esperando o lanche ficar pronto. Mas pode dar em algo chamar a CET, ligando pra 1188. É, a CET, essa mesma, que não tá nem aí pra pedestre ou qualquer outra coisa que não seja carro. Se você ver um carro sobre a calçada, ligue 1188. Eles precisam resolver o chamado.
Veja o que conta o Willian no Vá de Bike aqui

Bom pedal para você! Força no pedal! Não vamos deixar que danem a cidade e seus cidadãos.

Share
Esta entrada foi publicada em Bike e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

5 respostas a Os pedestres (e a cidade) que se danem…

  1. Pingback: Tweets that mention WDE » Os pedestres (e a cidade) que se danem… -- Topsy.com

  2. ogum777 disse:

    pois é.
    olhe isso:
    http://asbicicletas.wordpress.com/2010/12/22/gostoso-que-nem-voce/
    tb é uma forma de assédio. incomodou-me. o carro era um ecosport. será que esse carro faz as pessoas perderem a vergonha?

  3. Oi, só uma correção: Eu não arrebentei o espelhinho da Kombi. Eu ameacei estourar o espelho e o vidro se ele não me pedisse descvulpas sem sorrisinho cínico no rosto. Também não sou favorável a revidar violência com outras formas de violência, mas tem momentos que a gente cansa e a bomba relógio explode!!!!!

    Mas, tomara que os caras do kombi, realmente, pensem 10 mil vezes antes de insultar uma mulher outra vez!

    Abraços,
    Evelyn

  4. Wlad disse:

    Evelyn, é fato. Troquei e corrigi o texto. Obrigado e bom pedal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *