Caos no transporte

Eu me locomovo todos os dias na cidade de São Paulo usando exclusivamente a bicicleta. Conheço muita gente que utiliza o carro e que poderia trocar pela bike. Alguns moram tão perto do destiho que uma caminhada de 15 minutos resolveria. Mas preferem continuar na zona de conforto.

No entanto eu seria hipócrita ou demagogo se fosse advogar o uso de bicicleta para todas as pessoas. Trabalho com pessoas que moram a 30, 40 quilômetros, ou até mais. O trajeto é proibitivo para bikes, pela distância e dificuldade do caminho até para o atleta mais experiente. Seria o ideal que essa pessoa pudesse fazer parte do trajeto com sua bicicleta, e o restante pudesse usar o transporte público. Outras pessoas tem restrições pela idade ou condições especiais, também não podem usar uma bicicleta.

É exatamente esse o ponto. Nosso transporte público é aviltante. Os meus amigos que trabalham comigo e que vivem longe do local de trabalho são obrigados a enfrentar essa violência todos os dias.

Confira nessa lista, preparada pela MariaFro, a série de reportagens que foi ao ar pela TV Record, feitas pelo Luiz Carlos Azenha.

Cuidado ao reclamar por aí, mesmo que você, como cidadão tenha os seus direitos violados: a polícia pode chegar batendo, e muito, e jogar gás de pimenta (proibido pela Convenção de Genebra) na sua cara.

Esse post tem muito a ver sim com bicicleta. Tem a ver com mobilidade urbana, com cidadania, com respeito. Um dos motivos pelos quais os ônibus andam devagar nas ruas é por que essas ruas estão cheias de carros, com uma única pessoa dentro. Se os transportes públicos fossem decentes em São Paulo, além das próprias pessoas, haveriam maneiras de transportar ou guardar a bicicleta nas estações de trens e Metrô. O que existe não supre a demanda.

Além de respeito nas ruas, precisamos pensar e propor uma nova urbis, uma cidade humana. Ao colocar seu voto nas urnas nas próximas eleições será o momento para pensar muito a respeito, mas já é possível fazer algo agora.

Share
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Caos no transporte

  1. daguvasco disse:

    A luta pra ir ao trabalho e voltar eh em qualquer lugar.
    Quando não da pra ir de bike – muito frio com chuva (prefiro ir de carona ou busao) demoro 1h 15 de onibus pra ir, mas quando chego no terminal, tem que correr e passar por cima de muita gente até entrar no onibus.
    O foda que de casa ao trabalho sao 12 km, de bike faço em 30 min, de carro quando venho faço em 45 min.
    O melhor modal é a bike, até a pe ja fiz pra ver quando tempo demoro.
    Fiz em 58 min, 2 vezes, é mais devagar que carro mas rapido que onibus.
    AS vezes pego um ou outro funcionario aqui p/ tentar vir de bike, mas realmente todos falam que conseguiram agora comprar um carro, e nao querem se passar por pobre, aff, se ve pode.
    No trabalho da minha esposa ja falaram isso a ela pois ela vira e mexe fala que eu pedalo enquanto ela fica com o carro.
    “nossa vcs ganham tao mal assim??” e minha esposa, não não querida, justamente por nao ter 2 carros que temos uma vida bem melhor que a sua e mais saude tbm…
    Educação e respeito é o que falta no brasileiro, enquanto elegemos romario, tiririca e afins pra nos “auxiliarmos” vamos continuar assim…
    Lamentavel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *