Como pedalar na cidade com chuva

Todo ciclista urbano tem que estar preparado para a chuva.
Ela sempre vem, uma hora chega. Em São Paulo chega a ser uma companhia constante em alguns períodos.

Ao se proteger, você não irá evitar de se molhar. Mas ao menos estará pronto para a chuva, suas coisas estarão seguras, e irá evitar que a água escorra por dentro de suas roupas.
Confira as dicas a seguir, adapte o que for necessário para você (cada ciclista tem um jeito, uma maneira de fazer as coisas).

Quase tudo que mostro é fruto de experiência própria pedalando nas ruas de São Paulo. O resto aprendi com outros ciclistas experientes que vieram antes de mim.
E não deixe de enviar seus comentários e contribuições, bem como perguntas e dúvidas. Os ciclistas da cidade sempre nos ajudamos uns aos outros.

(clique nas fotos para ampliar)

01 - paralamas

Item muito importante na bicicleta são os paralamas. Como eu uso a bike sempre como transporte, nem tiro os meus, pois além de proteger da água da chuva, evitam também a água de poças e valetas. Depois da primeira chuva, você descobre como são importantes.

02 - paralamas

Eu uso bagageiro, por isso não tenho um paralama na roda traseira. Mas somente o bagageiro não é o suficiente, a menos que esteja todo fechado com plásticos ou coisa parecida. Eu uso sempre uma bolsa, como mostro a seguir.

 

03 - bolsa traseira

Para dividir o peso e carga com a mochila, em uma pequena bolsa presa no bagageiro levo parte da roupa (calças e às vezes sapatos) e ferramentas. Se você tiver um daqueles alforges ou bolsa própria para bagageiros, será muito mais fácil.

04 - bolsa traseira

As calças e qualquer outra coisa que vá na bolsa ou mochila devem ir em dois saquinhos. Mesmo quando não há chuva, eu tenho por costume colocar as calças em dois saquinhos. Ainda mais na bolsa do bagageiro: estará recebendo água por cima e por baixo; melhor proteger. Proteger as ferramentas é garantir vida longa às mesmas.

 

04b - saquinhos

Por isso guarde sempre os saquinhos arrumadinhos com você. Dobradinhos ocupam um espaço mínimo. Tenha sempre na mochila.

05 - bolsa traseira

Está aí a bolsa, devidamente amarrada. Uma vez o elástico se rompeu e minha bolsa caiu, e perdi a calça e ferramentas; por isso, sempre passo a alça pelo canote. Como quase sempre estou com a bolsa, uso a luz vermelha presa no bagageiro, já que no canote não teria como.

 

06 - roupa

Com chuva o ideal é usar a menor quantidade de roupa possível, bem como evitar roupas de algodão. Apenas roupas de tecidos técnicos é o ideal. Mesmo que esteja frio, tente usar a bermuda curta; assim você não ficará encharcado enquanto pedala. A roupa que você precisa usar no trabalho deve ir protegida na bolsa e mochila.

07 - roupa de baixo

Roupa de baixo normalmente já é dispensável com uso de bermudas de ciclista. Nos dias de chuva é que você deve evitar mesmo cuecas ou calcinhas. As bermudas de ciclista, feitas com tecido técnico, secam rápido. Pedalar com os ‘fundilhos’ molhados é tão ruim quanto com os pés encharcados.

 

08 - luva dedo fechado

Evite luvas de dedo fechado. Com a chuva, ficarão encharcadas e suas mãos ficarão mais frias. Tente usar as de dedo aberto; só não fique sem luvas, pois evitam bolhas, machucados mais graves numa queda e dão uma pegada no guidão muito superior.

09 - luvas e meias sobressalentes

Se você tiver um par extra de luvas, leve-o com suas roupas, mais um par de meias também. Na volta, você irá se agradecer por poder usar luvas secas; idem para as meias. Adiante dou a dica para proteger os pés.

 

10 - sapatilha

Se sua sapatilha se parece com um tênis ou se você usa mesmo um tênis comum, seus pés irão se encharcar fácil, mesmo com pouca chuva, pois esse tipo de calçado usa muito tecido. Pedalar com os sapatos cheios de água é muito ruim, uma das piores sensações, mesmo no calor. Veja essa dica simples para proteger os pés num dia de chuva…

11 - sapatilha

Se o seu pé não for enorme, sacolinhas de mercado comum irão servir. Se você tem um pé gigante terá que encontrar sacos maiores para uma proteção adequada. Em cada um dos pés deverão ser usados dois saquinhos. Uma única sacolhinha irá deixar a água entrar.

 

12 - sapatilha

Coloque a ponta do pé no canto da sacolinha, para poder aproveitar melhor o comprimento da mesma. Passe uma alça por dentro da outra.

13 - sapatilha

Dê a volta pela frente do tornozelo, e passe de novo cada ponta da alça uma dentro da outra.

 

14 - sapatilha

Siga entrelaçando as pontas das alças. Importante!!!: nenhum nó é necessário. Simplesmente passe uma alça dentro da outra algumas vezes.

15 - sapatilha

Ao colocar a segunda sacolinha, intercale o canto do fundo. Por ex., se colocou a primeira no canto esquerdo, coloque a segunda no direito.

 

16 - sapatilha

Melhor fazer com que no pé esquerdo a segunda sacola fique no canto direito e vice-versa. Dessa forma, você deixa o excesso de plástico do lado de fora, longe do pedal e da corrente.

17 - sapatilha

Veja o detalhe da alça passando por dentro da outra; vire uma delas e passe por dentro de novo.

 

18 - sapatilha

Depois de algumas vezes, a ‘corrente’ se mantém presa sozinha. Assim você NÃO PRECISA DAR NÓ. Se der um nó nos laços ficará muito difícil retirar os saquinhos e será necessário destruir a sacolinha.

19 - sapatilha

Assim que terminar um dos pés, dobre bem o plástico e retire o excesso de ar.

 

20 - sapatilha

Somente dois elásticos bastam pra segurar tudo no pé.

21 - sapatilha

Você pode encontrar uma dessas galochas de motoqueiro, mas são pesadas, não deixam você usar o clip ou o taquinho e a água vai entrar nelas. Também não encontrei uma daquelas polainas de ciclistas impermeáveis (ainda… Veja nos comentário a dica da Sylvia!!); isso seria o ideal, pois colocar esses saquinhos requer um pouco de paciência e tempo.

 

22 - sapatilha

Se o laço for dado simplesmente passando uma alça dentro da outra, basta puxar um pouco para tudo abrir.

23 - sapatilha

Importante! Não use muita pressão, apertando demais. Se estiver apertado, em meia hora de pedal seu pé vai inchar, e o tornozelo ficará marcado e machucado. Basta colocar direitinho que a água não entra.

 

O Mercadinho não patrocinou o post, naturalmente. Mas fiz questão se usar uma sacolinha dessas para mostrar que qualquer sacola de supermercado serve.

24 - sapatilha

Se estiver de calça comprida, não deixe que a barra passe por dentro do saquinho. A calça fica molhada, a água passa pelo tecido dentro do plástico, molhando a meia e logo depois o pé inteiro estará encharcado. Acredite.

25 - sapatilha

Dobre a barra da calça, de modo que esta fique totalmente fora do laço das sacolinhas, e também deixe a meia dobrada para baixo (melhor usar daquelas bem curtinhas, tipo meia sapatilha).

 

26 - sapatilha

Você pode ficar com uma aparência um pouco estranha, mas só enquanto estiver fora da chuva e desmontado da bicicleta. Lá fora, pedalando debaixo d’água, te agarantio, será suuuper normal.

27 - sapatilha

Cheguei a enfiar o pé em correntezas fortes, em valetas e sarjetas, com chuva forte, e meus pés ficaram secos. Como disse, fazer isso pode levar uns minutos a mais e exige sua paciência, mas é muito barato e reutilizável.

 

28 - elásticos

Por isso, pareço um office boy: sempre tenho elásticos (e saquinhos) comigo.

29 - sapatilha

Se sua sapatilha for desse tipo, ela pode ter mais componentes sintéticos, não-tecido, exigindo assim menos proteção, já que ela secará muito mais rápido que um tênis de pano. Mas não deixo de usar as sacolinhas para evitar o pé encharcado e manter as meias secas.

 

30 - sapatilha

Coloque os elásticos de modo a não passarem por cima do taquinho. O uso das sacolinhas não irá impedir a trava do SPD.

31 - sapatilha

O pé vai ficar seco e protegido, mas se você não usa taquinho SPD cuidado, pois o plástico desliza e não é nada aderente, nem no chão nem no pedal. Você terá que avaliar se vale a pena manter o pé seco e perder essa aderência. Se estiver clipado, não há problema nenhum.

 

32 - sapatilha

Prender a sapatilha e soltar do pedal SPD durante o trajeto não irá destruir a sacolinha. Ela vai durar muito tempo, e dá fácil para você reaproveitar para a volta e até para o dia seguinte. Seja consciente na hora de usar a sacola plástica!

33 - coisas pra mochila

Eu ainda tenho que carregar comigo o resto da roupa (a calça deixo na bolsa do bagageiro), documentos, eletrônicos, celular… nada disso pode molhar. Hora de pegar mais sacolinhas.

 

34 - coisas no saco

Coloque tudo dentro dos saquinhos. Se houver documentos ou outras folhas maiores que não podem dobrar, certifique-se de proteger bem.

35 - coisas no saco

Use sempre dois saquinhos. Debaixo de uma chuva forte, melhor se garantir que confiar que a água não entra na mochila. Lembre-se: experiência própria.

 

36 - saquinho pra mochila

Pacotinhos bem feitos garantem a integridade das suas coisas, e você vai pra chuva sem medo.

37 - saquinho na mochila

Só não esqueça dentro de um desses pacotinhos algo que você irá precisar quando chegar no trabalho, na escola ou em casa, como a chave, o crachá ou ainda um trocado ($$). Para isso use saquinhos pequenos nas bolsas menores da sua mochila ou pochete.

 

38 - mochila com saco

Pronto, suas coisas protegidas e em segurança.

39 - mochila maior

Existem mochilas específicas para uso por ciclistas. A anterior é uma Kailash, já bem usada (me acompanhou por quase uma década, a danada), e essa é uma Deuter. Espero que dure mais uma década. Quanto tempo dura um carro?

 

40 - mochila protegida

Para aumentar a proteção, você pode usar uma capa impermeável de mochila. Além de proteger o que está dentro, evita que a própria mochila fique encharcada. A água na mochila encharcada é um peso considerável que você carregaria à toa, além dos respingos no carpete do escritório.

41 - mochila com proteção

Esse modelo da Deuter já vem com uma capa. Basta abrir o zíper, puxá-la para fora e proteger a mochila.

 

42 - mochila com proteção

Depois secar, dobrar e guardar. Muito prático. Capas para mochilas são vendidas em lojas de material esportivo ou você pode improvisar com um grande plástico.

43 - jaqueta chuva

Se lá fora houver apenas uma leve garoa, uma simples jaqueta ou anorak servem. Lembre-se de tentar usar a menor quantidade de roupa, para evitar menos água presa ao seu corpo.

 

44 - capa de chuva

Mas se há chuva de verdade, use uma capa de chuva mesmo. Essa aí é uma daquelas de 3 reais, que qualquer banca de jornais vende. Há capas especiais para ciclistas, mas são BEEMMM mais caras que esses R$ 3, apesar de protegerem quase da mesma forma. A diferença está na mobilidade que elas darão.

45 - capacete sobre capa

Coloque o capuz da capa de chuva primeiro, depois o capacete. Prendendo direitinho, não entrará água pelas costas nem escorrerá pela cabeça.

 

46 - luvas no final

Calce as luvas sempre no final. Para essa operação toda é necessário ter toda a habilidade dos dedos.

47 - conferindo movimentos

Monte na bike e confira se nada está apertando ou repuxando. Vire a cabeça, mexa o corpo, estique os braços. Acerte a posição da mochila e da capa. As capas de motoqueiros não são adequadas, pois são pesadas e tiram o movimento que o ciclista precisa ter.

 

48 - pronto pra pedalar

Pronto pra enfrentar as ruas da cidade com chuva e muita água. Assim como carros nas estradas, em dias de chuva use sempre a iluminação, os pisca-pisca vermelhos, mesmo de dia. Motoristas são seres limítrofes e bastante incapazes; ajude para que eles te vejam (sério, mesmo com essa roupa de astronauta, amarelo berrante-cheguei e luzes vermelhas piscando na cabeça e bagageiro, sempre escuto um ‘não te vi!’)

49 - pedalando protegido

Bora pedalar, galera! Ou você é feito de açúcar?

 

50 - capa pra secar

Quando chegar na escola ou no trampo, deixe a capa secando junto à bike. Você nunca vai saber se na volta terá chuva também (Em São Paulo, é o mais provável). Na dúvida, levo a minha capa na mochila sempre comigo, não importa a época do ano.

51 - dobrando capa

Há uma maneira certa para dobrar a capa, senão você terá um pacotão desajeitado de plástico. Quando abrir a capa recém-comprada, confira como são as dobras. Para dobrá-la novamente, depois de seca, estique e dobre ao meio, juntando as pontas das mangas. O truque está em saber fazer as dobras no capuz, de modo que fique como na foto.

 

52 - dobrando capa

O capuz é dobrado dentro dele próprio. Em seguida, dobre o mesmo e as mangas para cima do corpo da capa.

53 - dobrando capa

Dobre tudo no meio, pelo comprimento.

 

54 - dobrando capa

Vá dobrando agora aos poucos…

55 - capa dobrada

Pronto! Não precisa ficar igualzinho ao pacote original, mas assim cabe fácil na sua mochila, sem ocupar espaço.

 

Qualquer que seja a capa, das mais simples às específicas para ciclistas, mantenha-a sempre limpa e seca. Pedalando com esse plástico totalmente impermeável sobre a pele você irá suar, mesmo que esteja frio. E depois de algumas pedaladas a capa terá o cheiro de cavalo, típico de ciclistas (argh!). Cuidando bem, a capa pode durar muito. Mesmo essas mais baratinhas comigo chegam a durar meses.

Ao chegar ao trabalho ou escola, ou depois que retornar para casa, deixe sempre tudo secando. Se precisar secar as luvas, por ex., pode deixá-las presas na grade da geladeira: solução dos tempos de antanho. Para evitar ter que colocar os tênis atrás da geladeira também, use os saquinhos nos pés.

Antes de começar a trabalhar, leve a roupa seca com você e troque-se no banheiro. Depois de um pouco de higiene pessoal, que pode envolver o uso de papel toalha, você estará novinho e pronto pra trabalhar, e FELIZ! Já seus amigos, que foram de carro, não estarão rindo e felizes como você.
Aqui as dicas são parecidas com as de um dia muito quente, quando você chega suado no escritório. Veja mais esse link do Vá de Bike!: Minha empresa não tem chuveiro, como eu faço?.

E as mulheres? Nesse mesmo link do Vá de Bike! há um vídeo com dicas de uma ciclista para cuidar do cabelo. A menos que você, mulher, use somente roupas casuais ao pedalar, o resto se aplica da mesma maneira.
Levar uma roupa bem dobrada, cuidar da maquiagem no banheiro quando chegar, deixar os sapatos no escritório, e pronto!
Veja o vídeo aqui:

 

Dá até pra usar roupa social sem problemas. Basta dobrar as calças e camisas direitinho. Para evitar qualquer amassado na camisa, coloque-a dentro de uma pasta, dessas de escritório, não deixando de protegê-la da água com os infalíveis saquinhos.

Aproveite o ar condicionado do escritório. Ambientes com ar condicionado são muito secos (por isso é importante beber água e não abusar do uso contínuo do monitor). Dessa forma, tente deixar em algum canto o que tenha se molhado, como luvas ou o par de meias.

Mesmo com uma chuva forte, você pode chegar protegido da água, ao menos o torso e cabeça. Mas se você não se importa com isso, cuide apenas das coisas na mochila e pedale como o Alexandre Cruz; veja esse vídeo produzido no caminho que ele faz diariamente, num dia de temporal:

 

FinishLine para lama e chuva
Se há chuva, não importa como você se protege: é necessário cuidar da bicicleta!
As partes mecânicas móveis precisam de uma lubrificação ideal para muita água. Na corrente e na relação (câmbios traseiros e dianteiros) use um óleo lubrificante especial.

 

Nas ruas da cidade há muita sujeira. Com água, essa sujeira desgasta muito as sapatas dos freios e podem também arranhar o aro das rodas. Tenha sempre com você sapatas sobressalentes, se você usa sapatas tipo refil, que são mais práticas; para as inteiriças, fica mais difícil . Se usa freios a disco terá um problema a menos, pois enfrentam água, sujeira e lama com muito mais eficiência.

sapata vbrake

Sapatas VBrake peça inteira

sapata vbrake refil

Sapatas VBrake com refil

 

Se você está na estrada de speed ou um pedal tipo cicloturismo ou ainda na trilha de mountain bike, não tem nada que se proteger dessa forma. Isso deve servir somente para você poder chegar no trabalho ou escola de maneira que consiga secar-se rapidamente ou evitar o excesso de água. Num pedal fora das ruas da cidade, tem mais é que aproveitar a chuva, protegendo apenas suas coisas, como documentos e/ou aparelhos eletrônicos.

Aproveite a chuva, desfrute das ruas. Cuidado com o chão mais escorregadio e com os freios que não pegam igual. Mais cuidado com os motoristas, que já não conseguem enxergar normalmente, e em dias de chuva ficam totalmente abobalhados e cegos. Seja visível e previsível. Acenda sempre as luzes.
Em ruas muito alagadas, não se arrisque! Você não poderá ver os bueiros abertos e outros obstáculos.
Eu venho e volto do trabalho e para casa todos dias com minha bicicleta, não importa o tamanho do temporal; todos no escritório me invejam, pelo tempo que levo, pela diversão que consigo ter ao pedalar e pelo ânimo que tenho. Mesmo que os que me acham louco também me invejam. E na verdade não estou nem aí pro que sentem ou pensam.

A gente se vê lá fora! Bom pedal!

 

 

Share
Esta entrada foi publicada em Bike e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

43 respostas a Como pedalar na cidade com chuva

  1. Passo a passo completíssimo. Quisera eu ter lido isso há 4 anos…
    Eu não ligo mesmo. Principalment porque lá no trabalho eu chego, tomo uma ducha, lavo as roupas e as deixo secando no ar-condicionado.

    Abração e bom pedal.

    Cruz

  2. Willian Cruz disse:

    Legal, hein? Eu já pensei em envolver a sapatilha com saco plástico, mas não tenho muita paciência, deixo molhar e pronto. Levo um par de sapatos ou de tênis para colocar ao chegar no destino e pronto (tenho alforges, cabe tudo). Quanto à capa de chuva, depois de usar eu sempre seco com papel toalha por dentro e por fora ao chegar no destino, depois a deixo aberta secando e arejando nas costas de uma cadeira. E concordo plenamente que em dias de chuva é MUITO melhor estar usando roupa de ciclismo. Chegando no destino (ou um pouco antes) você se troca.

    Boa, Wadilson.

    Só uma pergunta: já pensou em usar um paralama por baixo do bagageiro, para não molhar/sujar tanto a bolsa? Você pode prendê-lo embaixo do bagageiro mesmo, com aqueles lacres tipo “esgana-gato”.

  3. daguvasco disse:

    Caraca que show de post.
    Faço a maioria das coisas, a diferença é que aonde trabalho tem um fornalha aonde deixo meu tenis secando quando pego chuva, e ja deixo outro na empresa juntamente com uma calça jeans, entao so levo uma camisa ou polo na mochila, envolta de uma capa de chuva que comprei por R$ 1,99 que não molha de forma alguma.
    Comprei ontem um paralamas pra frente, e como tbm uso bagageiro vou por outro atras.
    E seguimos pedalando, sempre…
    Aquele

  4. Phil disse:

    Não quero ser chato mas não é exagero?

    O que eu faço é o seguinte, uso uma capa de chuva, levo uma muda de roupa na mochila e um tennis extra.

    Tenho dois tenis da Adidas Hellbnder.

    Ele é próprio para exportes aquáticos e seca muito rápido porém ainda deixa o pé encharcado se não deixar umas horinhas escorrendo

  5. Pingback: Tweets that mention WDE » Como pedalar na cidade com chuva -- Topsy.com

  6. Rodrigo Nery disse:

    Muito bom o seu passo a passo! Parabêns pelo texto e pelas colocações muito pertinentes e verdadeiras. Tudo que foi dito aqui é real, principalmente no que diz respeito aos motoristas. Temos sempre que pensar neles pra pedalar com segurança.

  7. Wlad disse:

    Willian, pensei sim, mas quase sempre deixo o bagageiro protegido com plásticos. Não preciso, assim, de um paralama. O conjunto todo me protege da água e a bolsa não suja tanto.

    Phill, não é exagero não. Como disse lá em cima, cada um tem um jeito, cada ciclista tem a sua mania. Muitas dicas que recebi durante a vida fiz questão de dispensar. Protegendo-me assim, quase que todo impermeável, chego seco ao trabalho. Cabeça, tronco, ‘fundilhos’… Trocando a camisa e enfiando a calça, já posso entrar direto no escritório. Mas isso vai de cada um e também da ocasião. Às vezes, quando estou voltando pra casa, como sei que há um chuveiro me esperando, vou pedalando célere e debaixo d’água, como o Alexandre Cruz.

    Valeu, pessoal. Obrigado.

  8. Otavio Exel disse:

    Grandes dicas Wadilson! super ‘brigado!
    Mas voce nao abordou uma questao muito importante: pneus! Voce costumava usar o Kenda Kwest 1.25″ e nessas fotos esta usando outro. Que pneu é esse? Voce troca na temporada de chuva?
    Devo acrescentar que eu comprei um par de Specialized Hemisphere e estou gostando muito. Ainda nao peguei nenhuma chuva “brava” com ele mas estou apostando que vai ser bom!

  9. rafaelqds disse:

    Caraca show! O vídeo então nem se fala! Parabéns pela iniciativa!

  10. Wlad disse:

    Otávio, você tem razão. Dia seguinte à publicação percebi que faltou esse assunto, muito importante aliás.

    Esse semi-slick que aparece nas fotos eu uso sempre na cidade, mesmo em dias de chuva.
    Já percebi que os com cravos grandes, ideais para uma trilha com lama, não são indicados para o asfalto molhado. Não sei, mas parece que eles conseguem menos área de contato com o chão (o asfalto é duro, e não cede como a terra ou lama). Usando esses pneus de trilha já levei uns sustos no asfalto molhado.

    Os Kenda 1.25 só vão comigo pra estrada. E pra trilha os Maxxis cravudos.

  11. Sylvia disse:

    Galera,

    A marca GB fabrica uma “bota” especialmente para proteger os pés em dia de chuva. Ela cobre o tornozelo, parte sensível no frio. É fácil de calçar e descalçar e de lavar e secar também. Dura muito mais que os saquinhos, vale o investimento.
    Veja no site da loja Carioca Renato Estrella Bicicletas

    http://www.renatoestrella.com.br/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=84

  12. Wlad disse:

    Sylvia, que achado! legal.. era dessas polainas que eu disse que AINDA não havia encontrado uma impermeável. Pelo que vi, ela não é totalmente impermeável, mas protege bastante do excesso de água, sem falar que para colocar e tirar é mil vezes mais fácil que as sacolinhas de plástico.
    Vou procurar aqui nas lojas de São Paulo; senão pedir frete para a loja do Rio.
    Valeus! Obrigado

  13. Olá Wadilson. Você pode me passar seu e-mail? Gostaríamos de publicar sua matéria em nossa revista, se você permitir e quiser.

    Aguardamos seu retorno.

    Abraços.

  14. Wlad disse:

    @Revista Bicicleta
    Olá, pessoal da Revista Bicicleta.
    Entrem na minha página com a lista de passeios de bike na cidade de São Paulo, wde.com.br/bike/passeios.htm ; na página há endereços de email, além de um conteúdo legal. Também já enviei um direto para a sua redação.
    A gente se vê!

  15. Gledson disse:

    Eu tb uso bagageiro, porém consegui colocar um modelo de para-lamas. Modelo bem simples, de 10,00.

  16. Karla Luz disse:

    Eu uso a bike p/ ir da minha casa até a estação das Barcas em Niterói. O trecho é bem curto, mas nunca tinha pego chuva… até ontem! Só li o seu post hoje e por sinal, está muito bem escrito e detalhado. Com essas dicas, ninguém fica molhado!
    O vídeo está show de bola! Mas aquela chuva eu não encarava não!
    Abs,
    Karla Luz

  17. Olá Wadilson. Há pouco mais de um ano comprei a minha bicicleta, agora inseparável companheira de lazer. Pedalo por esporte, e faço um pouco de cicloturismo (coisas simples, para iniciantes). Mas agora estou estreando em duas novas modalidades, provas de longa distância (Audax) e ir para o trabalho de bike.
    Hoje foi meu primeiro dia indo para o trabalho de bicicleta. Como moro pertinho, cerca de 1,7Km que faço a pé, ou 2,8Km indo de bike pelo caminho só de asfalto (odeio pedalar em paralelepípedo), é um pedal bem rápido, menos de 10 minutos. Os colegas ficaram bem interessados em saber detalhes a respeito 🙂 A propósito, fui de sapatilha e levei um sapato na mochila para trocar lá.
    Como a previsão do tempo diz que amanhã teremos chuva, estava procurando dicas e encontrei o teu blog. Creio que, por ser pouco tempo de pedal, posso dispensar alguns dos cuidados, mas com certeza tem outros que eu adotarei.
    Agora, mudando um pouco de assunto, reparei nas primeiras fotos que tu tens uma Caloi Elite. Pela pintura me parece realtivamente antiga. Eu tenho uma Elite 2.4 de 2009, com uma pintura fosca (e muito bonita) que já foi mudada pela Caloi em 2010, se não me falha a memória. Minha curiosidade é: de quando é a tua bike? Sou uma curiosa a respeito desse modelo, talvez por ser a minha primeira bike mais completa, e talvez por eu ser curiosa demais a respeito de tudo, hehe 🙂
    Abraços ciclísticos!

  18. wadilson disse:

    Oi, Tânia! Que bom que está usando a bicicleta na cidade.. Pedalar é tudo de bom.

    As dicas que passei são todas coisas que fui aprendendo com a prática e com outros ciclistas experientes que vieram antes de mim. É claro que não se deve seguir tudo à risca. Cada um tem o seu jeito. Mas se você aproveitou algo do que passei, fico muito feliz.

    A Caloi que aparece nas fotos é apenas o quadro. Não peguei essa Caloi Elite 27 montada. Comprei apenas o quadro, que sobrava em uma loja daqui após o primeiro dono trocar tudo (o quadro era 0km), e já troquei muitos componentes desde então. Tenho esse quadro desde 2006. Tenho outras bicicletas, que uso para atividades distintas, como fazer estrada, cicloturismo ou entrar na trilha.

    Não deixe de conferir os outros sites que recomendo e listo na página http://www.wde.com.br/bike/ ; você vai encontrar muitas outras dicas valiosas.

    Bom pedal!

  19. Pingback: Lanternas Chinesas | WDE

  20. Elis disse:

    Suuuuper curti!

  21. Fernando Silva disse:

    Segui a risca estas dicas até hoje de manhã e valem muito a pena, mas no frio mesmo quase não se molhando é um perrengue triste, hoje a tarde na volta pra casa vou testar uma roupa de motoqueiro e a minha intenção é se prevenir do frio e ainda não se molhar, espero que de certo!!!

  22. Diego disse:

    Primeiro, parabéns. Excelente dica.
    Uma dúvida, uso a cerca de 4 meses a bike para ir e voltar do trabalho. Foi uma das melhores decisões da minha vida.
    Estou com um desafio e gostaria da sua ajuda. Todos os dias, sem exceção, tenho que carregar meu notebook comigo. Nos dias de chuva, acabo indo trabalhar de carro, pois não sei como carregar o note sem o risco de molhar. No bagageiro eu não coloco, pois acho que a corda elástica via estragar a tela. Existe outro problema, mesmo que não molhe, pode criar humidade dentro do saco ou algo assim e danificar da mesma forma.
    Você tem uma idéia que possa carregar o note de forma apropriada e correndo o menor risco possivel?
    Quero pedalar todos os dias, sem exceção, mesmo na chuva. Brigadão.

  23. wadilson disse:

    Diego, tudo bem?

    Levar o laptop todos os dias no bagageiro não acho mesmo muito seguro. Além de quedas, é mais fácil molhar. A menos que seja um bagageiro dos mais sofisticados; existem algum modelos que são como cases, malas rigidas e bem fechadas, bem como alguns modelos de alforges. Caros esses modelos.

    Mas na mochila mesmo é o mais fácil e melhor para se proteger da chuva. No entanto a própria mochila deve ter sua proteção. O modelo da Deuter que aparece nas minhas fotos tem aquela capa amarela, que protege muito bem todo o conteúdo. E mesmo assim, em dias de chuva forte, eu recomendo embalar duplamente em sacos plásticos.

    Não irá servir uma mochila dessas que executivos usam para levar o laptop e ir para a academia. Uma boa mochila para o ciclista geralmente é aquela feita especialmente para ciclistas.
    Não importa a marca, mas deve ter espaço para o seu computador mais o que precisar levar.

    Também são caras essas mochilas, mas não como os bagageiros top de linha. E se vc usa muito, vale a pena, pelo conforto e segurança que te dá.

    Bom pedal!

  24. Fabio disse:

    Muito bom as dicas, principalmente a do saco plastico no pé. muito grato

  25. Diego disse:

    Muito obrigado pela resposta.
    Realmente, já tinha visto essa mochila da Deuter e achei bem salgada, mas curti. Confesso que fiquei na expectativa de encontrar uma alternativa “popular” para meu problema. Vou fazer o seguinte, poupar e adquirir, pois ela dura bastante e não terei problemas com o note. No bagageiro levo tudo, menos o note. Roupas, tenis, caderno e afins, assim a minha costa ou as minhas costas (nunca sei o correto) ficam “livres”, somente carregando o note.
    Parabéns de novo, obrigado pelo atenção e um ótimo pedal? WBT 2013, via???

  26. wadilson disse:

    Para quem ainda não viu, o post com dicas para pedalar no frio está aqui:
    http://www.wde.com.br/blog/2010/08/como-se-vestir-para-pedalar-no-frio/

    Bom pedal!

  27. Eustáquio Júnior disse:

    Li o seu artigo ontem…segui algumas dicas…e contatei que faltou uma coisinha…rss

    Hoje fui pro cursinho…mas na hora de ir embora constatei que o pneu estafa furado…e que, como a mt tempo não furava, eu não estava carregando mais o material de remendo rápido…e como era sábado a noite…fiquei mão…rss tive que dar uma caminhadinha boa…

    Moro em Goiânia…e está começando a chover agora por aqui…traduzindo…cheio de sugeira e porcarias que podem danificar o pneu…

  28. denis disse:

    Acho essencial o uso de bons para-lamas pra se proteger da chuva tanto na frente como atrás – daqueles q vão quase até embaixo e se der até c saias na ponta tb (‘flap’).
    http://www.instructables.com/tag/type-id/?sort=none&q=fenders
    Já vi umas guardas q cobrem a roda lateralmente (‘skirt guard’) pois qdo se passa numa poça e espirra pra todo lado é bem útil e, é claro, pra qm usa saia pois o desastre suporia seria grande se esroscasse na roda mas nunca vi pra vender. Se alguém souber de receita pra fazer barato e fácil…
    Pros pés recomendo mesmo a velha galocha, é fácil de por, funciona bem e é só manter 1 par de sociais pra qdo chegar na firma e trocar.
    Em termos de capa essas baratas funcionam mas são meio frágeis e curtas, uso aquelas tipo manta q protegem os braços, mãos e o guidom c seus acessórios (e tb as pernas por cima, são fáceis de por e podem custar barato (7-13usd) – encontrei 1 grande, bem boa (mas nem testei ainda) q deve servir até pra moto no ebay.ca.
    Pesquise: (bike,bicycle,bycicle) (rain,water) (coat,raincoat)

  29. Muito bomo post, bem técnico!
    Uma sugestão para levar documentos, carteiras, celulares e coisas de pequeno porte e grande valor: saquinhos do tipo “zip-lock”, não são muito caros e vedam tudo, muito mais prático do que ficar dando voltas e nós nos saquinhos de mercado, e duram muito mais. Eles vêm em diversos tamanhos, inclusive.

    Boas pedaladas!

  30. Eduardo Sousa disse:

    Olá, uso a bike todos os dias para ir ao trabalho também e gostaria de compartilhar algumas dicas que adaptei no meu dia-a-dia:

    – Capa de chuva de moto é um excelente custo-benefício, mas só utilizo a parte de cima, coloco minha mochila e depois visto a jaqueta por cima. Obs: Nunca compre uma capa justa, sempre um nro maior.
    – Levo sempre um óculos de lente escura e outro transparente.
    – Uso o mesmo esquema do wadilson, com o paralam diant., o bagageiro e mochila(esta utilzo um saco plastico maior para protege-la)
    – Fiz uma adaptação na minha luva para facilitar no trânsito(https://www.facebook.com/photo.php?fbid=372131976144413&set=a.196072287083717.49342.100000428401254&type=3&theater)
    – BarEnd no guidão ajuda demais
    – Adevisos refletivos são essenciais(cortar em tirar mais finas e add no garfo diant. e em partes dos quadro da bike). Tem alguns bem bacanas p/ colocar na roda(http://dx.com/p/bike-bicycle-reflective-wheel-rim-stripe-sticker-silver-181910)

  31. Gabriel Good Neto disse:

    Dificil de achar no brasil e caras porem se tu é aventureiro vale a pena investir em um conjunto jaqueta e calça impermeáveis e respiráveis, se tiver uma bota de montanhismo tambem imp/ respirável pode cair a mar de agua, nao nao uso luvas pois luva molhada me incomodou. Essas mochilas da deuter para bike que ja vem com capa de chuva e revestimento interno resistente a agua nao tem preço. Uma coisa mais tecnica que esta na moda agora são os sacos estanque, que existem diversas marcas e litragens, e usar silica gel dentro deles hehe existe a Mochila Ultra-Sil Dry DayPack da Sea To Summit que eh um saco estanque com alças pode cair chuva de pedra em cima dela, ou o saco big river dry bag o mais resistente da STS

  32. ADRIANO RIBEIRO DA SILVA disse:

    ADOREI AS DICA ( A DA SACOLINHA JÁ USAVA).

  33. Christiano disse:

    Matéria espetacular. Valeu demais. Parecido com meu trajeto

  34. Pingback: Como se vestir para pedalar no frio | WDE

  35. Pingback: Cicloviagem – Parati-Angra-Ilha Grande | CICLOAÇÃO

  36. Pingback: 10 dicas para pedalar na chuva | PEDAL X

  37. Pingback: 10 dicas para pedalar na chuva - Respeite Um Carro a Menos

  38. Pingback: 10 dicas para pedalar na chuva | Bike Pesquisa

  39. Diego disse:

    Esse vídeo do cara pedalando na chuva tá totalmente errado. O cara não usa espelho esquerdo (muito menos direito), vive costurando o trânsito. Ele tem olho na nuca? Tá bem louco pra virar asfalto. Eu ando só pela direita. Demoro, mas chego VIVO.

  40. Pingback: 10 dicas para pedalar na chuva | Blog Pedalegre

  41. Pingback: Bicicletada Iluminada é hoje!!!!! | Silvia e Nina

  42. Pingback: Como Pedalar na Chuva com Criança | Silvia e Nina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *